dog-pain

Você realmente sabe se o seu animal está sentindo dor?

A importância da dor

Reconhece-se, inclusive cientificamente, que os animais são passíveis de sentir dor. Ela pode trazer prejuízos à saude, como estresse, aceleração de processos de doenças, imunossupressão, dificuldade de cicatrização, privação do sono, catabolismo proteico, entre outros. Existem classificações para os tipos de dor e escalas visuais objetivas, visando caracterizar a dor de maneira a esclarecer e guiar o tratamento adequado.

Como reconhecer a dor?

Podem ser bons indicativos de dor mudanças no comportamento, falta de apetite, mudança da postura corporal e da expressão facial, no jeito de caminhar (mancando). Por exemplo, se o seu cão deixa de fazer coisas que ele é acostumado e gosta muito (como pular, fazer festa quando alguém chega), aos poucos ou de maneira abrupta, pode ser que ele esteja sentindo dor. Nem sempre a dor se traduz no choro, o que chamamos de vocalização. Muitas vezes um olhar triste ou um cãozinho cabisbaixo, sem energia ou com pouca fome já nos diz bastante!

Muitas vezes não são necessárias grandes ou numerosas lesões. Uma vez que a coluna funciona como um todo, há influência de uma vértebra em todas as outras. Dependerá também da tolerância do animal ao desconforto; tanto pode acontecer de o animal apresentar várias vértebras com disfunção e se sentir relativamente bem quanto um animal apresentar somente uma e sentir muita dor.

E meu gato? Como eu sei?

Normalmente gatos têm mais comumente mudanças de comportamento e de hábitos de higiene. Eles páram de se lamber, podem parar de comer. Se tinham o hábito de dormir em um lugar e mudam, começam a se esconder ou ficar muito tempo deitados, pode ser sinal de dor.

Como a Terapia Manual pode ajudar?

Mobilizações articulares, técnicas de massagem e liberação de tecidos moles podem aliviar dores articulares e musculares rapidamente e melhorar a qualidade e quantidade dos movimentos.

Como a Medicina Chinesa pode ajudar?

A liberação da energia estagnada nos meridianos do corpo é fundamental para o controle e alívio da dor. Pode-se usar diversas técnicas, sendo as mais utilizadas agulhamento seco, moxabustão, eletroacupuntura e fitoterapia chinesa.

Como a Fisiatria pode ajudar?

Através de correntes analgésicas e outros agentes físicos, exercícios de flexibilidade, alongamentos e trações principalmente em dores de coluna. Além disso, medicamentos para o controle adequado da dor, se necessário.

Como a Quiropraxia pode ajudar?

Através dos ajustes vertebrais, é possível agir na fonte do problema, uma vez que seja este uma subluxação primária. Uma das teorias da quiropraxia atribui a dor ao pinçamento das raízes nervosas pois, no corpo das vértebras, existem orifícios pelos quais os nervos se projetam oriundos da medula. As fixações portanto influenciam a fisiologia da coluna e nervos, assim como dos tecidos adjacentes. Além de  retirar as fixações, os ajustes mandam um estímulo ao sistema nervoso, que compete e sobrepõe o estímulo da dor.

Cada animal reage à dor à sua própria maneira. É importante a avaliação individual de cada animal em cada caso para se estabelecer o melhor protocolo. Cabe a nós ficarmos atentos a mudanças e procurar ajuda profissional quando necessário, evitando efeitos prejudiciais ao organismo dos animais e seu sofrimento.